Por que devem as mulheres pregar

Queridos amigos,

Muitos de vós dirigiram-se a nós com questões e depositaram em nós a vossa confiança com pedidos de oração. Vocês estão no nosso coração. Uma das perguntas que nos parecem particularmente importantes vai ser respondida agora. Porque estamos cientes de que a resposta é importante para muitas pessoas, especialmente para aqueles de vós que querem viver segundo os preceitos bíblicos e procuram a verdade da Palavra de Deus.

Mulheres evangelizadoras - é permitido?

Desta vez, trata-se da seguinte questão: é aceite na Bíblia que as mulheres evangelizem quando Paulo diz que as mulheres devem permanecer em silêncio na igreja?

Muitas passagens bíblicas são mal interpretadas neste contexto. Isto também explica porque é que a pregação se tornou um domínio masculino.

Sete perguntas chave

Se quer aprofundar o que a palavra de Deus realmente diz sobre um determinado assunto, há que colocar as seguintes perguntas chave para chegarmos ao entendimento correto:

  • Quem fala?
  • Com que autoridade fala?
  • Com que direito fala?
  • Com quem fala?
  • Com que finalidade fala?
  • Em que momento fala?
  • Em que contexto fala? (temático ou histórico)

Ignorando estas conclusões por completo, poderíamos até mesmo provar com a Bíblia que não só as pessoas, mas também as casas foram batizadas no tempo de Paulo.

Os cinco ministérios ungidos no corpo de Cristo

Há muitas razões boas, plausíveis, mas acima de tudo bíblicas, pelas quais as mulheres devem evangelizar e ensinar.

Efésios 4:11-14 diz:

11 E deu uns como apóstolos e outros como profetas, outros como evangelistas, outros como pastores - e mestres, 12 para equipar os santos para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo, 13 até que todos cheguemos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, à plena maturidade dos homens, ao pleno crescimento da plenitude de Cristo. 14 Porque nunca mais seremos menores, lançados de um lado para o outro, levados por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens, pela sua astúcia ao erro engenhosamente concebido.

Efésios 4, 11-14

"Ele" - ou seja, Jesus - estabeleceu ministérios: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres que estão destinados a tirar os crentes em Cristo da imaturidade espiritual e a levá-los à plena maturidade em Cristo. Enquanto as pessoas são menores em Cristo, estes ministérios são necessários. Para estes ministérios as pessoas são ungidas e chamadas por Deus.

Nenhuma discriminação em Cristo

"Um" refere-se a homens e a mulheres, como veremos de seguida, que não são escolhidos pelos homens, mas chamados e ungidos por Deus.

Gálatas 3:28 diz:

28 Não há judeu nem grego, não há escravo nem homem livre, não há homem nem mulher, porque todos vós sois um em Cristo Jesus.

Gálatas 3:28

“Em Cristo”, não há diferenças nacionais, sociais ou de género. A unidade em Cristo é livre de discriminação.

Mulher ou homem - depende da vocação!

Em Efésios 2:20, Paulo confirma que os apóstolos e profetas lançam o fundamento em Cristo: "Vós sois edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a pedra angular.” 

Para construir um fundamento sólido e estável em Cristo, precisamos da capacidade de ensinar e pregar a Palavra de Deus corretamente. Esta capacidade é possuída por homens ou mulheres que são chamados por Deus e ungidos em Cristo.

No Antigo Testamento, havia três ministérios para os quais as pessoas eram ungidas: rei, padre e profeta.

O Antigo Testamento nomeia até mesmo mulheres para o ministério do profeta, por exemplo, a profetisa Miriam, irmã de Aarão, a profetisa Débora, que levou o povo de Deus à vitória, ou a profetisa Hulda. Estas mulheres eram chamadas e capazes de instruir o povo nos caminhos de Deus. Se as mulheres já cumpriam um ofício tão importante no Antigo Testamento, tanto mais no Novo Testamento, para que os crentes pudessem ser ensinados e instruídos.

Declarações de Paulo mal interpretadas

A importância das mulheres chamadas e ungidas por Deus tem sido ignorada e deliberadamente suprimida, porque a maioria dos evangelizadores masculinos têm complexos de inferioridade e não sabem o que querem.

Para justificar a opressão das mulheres, são usados muitos pretextos e as declarações de Paulo são mal interpretadas.

Por exemplo, Paulo diz a Timóteo em 1 Timóteo 2:12: "Não permito que uma mulher ensine, nem que governe um homem, mas quero que ela fique em silêncio (....).

Quando diz "Eu (Paulo) não permito...", não está a dar ordens para se cultivar um espírito de chauvinismo na igreja, mas para restaurar a ordem na situação atual - nesta igreja particular que ele mesmo fundou e na qual Timóteo serve como pastor.

Em I Co 7:12, Paulo faz a seguinte declaração: "Mas o resto eu digo, não o Senhor...". Nas suas cartas, Paulo distingue se é ele próprio a dizer alguma coisa ou se é o Senhor quem diz. Paulo age na sabedoria que Deus lhe deu. E Paulo também sabe que, nas suas declarações, é guiado pelo Espírito Santo a falar concretamente em certas situações, quando era necessário.

Isto pode ser inferido de várias passagens da Bíblia nas suas cartas. A sua responsabilidade pela Igreja e o seu objetivo legítimo é ajudar as pessoas com necessidades espirituais a alcançar a plena maturidade em Cristo.

Seguir o Espírito de Deus

Paulo sabe trabalhar com o Espírito Santo e é capaz de reconhecer os desafios. É igualmente capaz de criar soluções com o Espírito Santo na verdade da Palavra de Deus. Enquanto as pessoas não conhecerem o Espírito Santo, não serão capazes de segui-Lo. Timóteo é um jovem - nomeado por Paulo - para guiar a jovem igreja em tempos difíceis e de perseguição. Já que Timóteo não é levado a sério por alguns por causa da sua tenra idade (1Ti 4:12), Paulo escreve instruções a Timóteo e à igreja. Neste momento, e dadas as circunstâncias, Paulo não permite que as mulheres ensinem nesta igreja por ainda não estarem preparadas. No entanto, ele não diz: "O Senhor não o permite."

Outro exemplo:

32 E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. 33Porque Deus não é Deus de desordem, mas de paz. Como é o caso em todas as igrejas dos santos, 34, as mulheres nas igrejas devem permanecer em silêncio, pois elas não têm permissão para falar, mas devem se submeter, como a lei também diz. 35 Mas, se querem aprender alguma coisa, perguntem em casa a seus próprios homens; porque é vergonhoso que uma mulher fale na igreja.

1Co 14:32-35

Aqui, Paulo fala de uma situação de desordem, rebelião e contenda. Conversa e inquietação desviam a atenção da proclamação da Palavra de Deus. Não havia paz no Espírito Santo. Paulo garantiu a ordem necessária para a administração da igreja. Esta ordem divina deve existir para que a paz no Espírito Santo possa ganhar espaço e a Palavra de Deus possa crescer. Isto refere-se à paz no Espírito Santo - não à paz do mundo.

Ele não negou às mulheres o chamamento para ensinar e evangelizar.

Qualquer um que use esta passagem bíblica para negar às mulheres um chamamento divino para evangelizar está a interpretar erradamente da Palavra de Deus.

Chauvinismo entre pastores e líderes alemães

O Dr. Yonggi Cho escreve esplendidamente: "Os homens são, amiúde, muito lentos a ouvir o Senhor, as mulheres são tesouros na igreja. As culturas ocidentais têm pouco uso para o ministério das mulheres e isto é uma maldição para as suas igrejas. Além disso, mais de 70% dos seus pastores e líderes são mulheres.

Na Alemanha, os homens têm grandes problemas com mulheres evangelizadoras.

Também conversámos sobre isso entre líderes com o Dr. Wolfhard Margies em março de 2007, quando foi nosso orador convidado. Entre outras coisas, falámos do facto de os pastores e líderes alemães terem um problema fundamental com mulheres evangelizadoras. Margies concordou, e disse casualmente ao nosso pastor: "Má sorte! És apenas uma pessoa inferior!"

É muito importante entender que os cinco ministérios de apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres são vocações divinas que não precisam de ser eleitas, nomeadas ou ordenadas por pessoas. Não há diferença de género para estes ministérios em Cristo.

Na liberdade do Espírito Santo

Queridos amigos, temos aqui uma pastora - uma mulher, que é reconhecidamente chamada e ungida para fundar e construir um ministério na beleza e liberdade do Espírito Santo em pleno domínio masculino. Ela tem sido, continua a ser, um modelo para nós ao longo de todos estes anos. Não se deixou corromper pela pressão chauvinista religiosa na Alemanha, não se vendeu a si mesma, à igreja, à Palavra de Deus nem ao Espírito Santo. Estamos orgulhosos disso!